Medidas de Apoio – IEFP

lugesconta-header-servicos
Conheça as principais medidas de apoio do IEFP em áreas como emprego, formação e Empreendedorismo
Mais informação ou apoio a candidaturas entre em contacto connosco Aqui

SERVIÇO DE ENVIO DE RECIBOS DE VENCIMENTO

Rapidez e eficiência no envio de recibos de vencimento dos seus colaboradores.
A Lugesconta disponibiliza serviço de envio de Recibos de Vencimento dos seus colaboradores por Mail.
O envio dos recibos de vencimento é efetuado para o endereço de email definido na ficha do colaborador.
Uma das grandes vantagens do envio de recibos de vencimento por e-mail é a facilidade e rapidez com que a informação chega ao destinatário, a rentabilização do tempo e a diminuição de custo com impressões.
Caso esteja interessado, entre em contacto connosco aqui

Últimas informações úteis

lugesconta-header-novidades
A Lugesconta – Gestão, Contabilidade e Serviços, Lda está presente na CONFERÊNCIA – As Organizações de Intervenção Social – Missão e Futuro Saiba mais aqui: 👇👇👇👇www.leiria-fatima.pt/diocese-e-politecnico-juntam-se-para-conferencia-sobre-as-organizacoes-de-ec… Veja maisVeja menos
IRSIRS Automático / Modelo 3 – 2023Prazo a decorrer de 1 de abril a 30 de junho de 2024. Confirme a declaração do IRS automática. Entregue a declaração de rendimentos. Veja maisVeja menos
A Lugesconta – Gestão, Contabilidade e Serviços, Lda, deseja a todos uma Santa Páscoa. Veja maisVeja menos

Simuladores das obrigações fiscais e parafiscais por atividade

lugesconta-novidades-informacoes-simuladores-fiscais

Vai criar ou já tem um negócio ou empresa e tem dúvidas relativamente às obrigações fiscais e parafiscais, condições de trabalho e legislação aplicável à sua ativiade? Na página eportugal.gov.pt tem acesso a um conjunto de simuladores preparados tendo por base cada uma das Fichas Técnicas e Fiscalização disponíveis, bem como a legislação aplicável em vigor. Saiba mais sobre as obrigações referentes à sua atividade, condições de trabalho e instalações, obrigações perante a Segurança Social e a Autoridade Tributária.

ACESSO À ATIVIDADE

Para verificar as obrigações referentes ao acesso à atividade junto da administração.

SIMULAR

 

INFRAESTRUTURAS E INSTALAÇÕES

Para verifcar as obrigações referentes às infraestruturas do estabelecimento e às condições das instalações

SIMULAR

 

EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO

Para verificar as obrigações referentes ao âmbito de funcionamento do estabelecimento (venda de tabaco, realização de espetáculos, direitos de autor, etc.).

SIMULAR

 

CONDIÇÕES DE TRABALHO

Para verificar as obrigações relacionadas com as condições de trabalho.

SIMULAR

 

SEGURANÇA SOCIAL

Para verificar as obrigações à Segurança Social.

SIMULAR

 

IMPOSTOS

Para verificar as obrigações fiscais

SIMULAR

Outras informações úteis

lugesconta-header-novidades

DICAS E ALERTAS

– DICAS E ALERTAS

LIGAÇÕES ÚTEIS GERAIS

– GOVERNO DE PORTUGAL Estamos On
– Segurança Social – COVID 19 (Medidas de apoio excecionais)
– Segurança Social – NOTÍCIAS
– Segurança Social – COVID-19 – Perguntas Frequentes
– Autoridade tributária – NOTÍCIAS
– Direção-Geral da Saúde (DGS)

LIGAÇÕES ÚTEIS INSTITUIÇÕES, RESPOSTAS SOCIAIS E AÇÃO SOCIAL

– Segurança Social – INSTITUIÇÕES, RESPOSTAS SOCIAIS E AÇÃO SOCIAL
– CNIS – NOTÍCIAS
– CNIS – Noticias à Sexta
– CNIS – ROTASS – COVID 19
– CNIS – Jornal Solidariedade
– UNIÃO MISERICÓRDIAS PORTUGUESAS
– MUTUALIDADE PORTUGUESA – COMUNICADOS
– COOPERATIVAS – NOTÍCIAS

LIGAÇÕES ÚTEIS CONTABILISTAS E EMPRESAS

– OCC COVID 19 – Legislação e informações úteis
– OCC COVID 19 – Guia prático para o contabilista certificado
– OCC COVID 19 – Dicas e alertas para contabilistas e empresas
– DGERT – covid-19 (perguntas e respostas para trabalhadores e empregadores)
– ACT – COVID-19 (Perguntas e Respostas para Trabalhadores e Empregadores).
– IAPMEI – MEDIDAS APOIO COVID19
– IEFP – FAQ’s COVID-19
– ARICOP – NOTÍCIAS
– DIÁRIO REPÚBLICA – Legislação COVID-19 (conjunto de medidas destinadas aos cidadãos, às empresas e às entidades públicas e privadas, relativas à infeção epidemiológica por COVID?19. )

APLICAÇÕES PARA TELETRABALHO
– ZOOM (video chamadas e reuniões)
– JITSI MEET (video chamadas e reuniões)
– GOOGLE DRIVE (Armazene, partilhe e aceda aos seus ficheiros a partir de qualquer dispositivo)
– WHATSAPP WEB (Aplicação no seu computador)
– MENTIMEETER (Crie apresentações e reuniões interativas onde quer que esteja)

A ÉTICA NAS EMPRESAS

A Ética (do grego ethos, que significa modo de ser, caráter, comportamento) é a subdivisão da filosofia que estuda e aponta o melhor modo de viver no cotidiano em sociedade. Diferencia-se da moral, pois enquanto esta se fundamenta na obediência a normas, costumes ou regras culturais ou religiosos recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar o bom modo de viver pelo pensamento humano. A moral, por sua vez, é um confronto pessoal entre aquilo que somos e aquilo que devemos ser. Devemos ser educados, não devemos roubar nem matar, devemos ajudar o próximo na medida do possível. Toda a ação moral pressupõe um conjunto de valores éticos que a direcionam. A ética é o conjunto desses princípios e a moral a prática individual desses princípios. Em sentido prático, a finalidade da ética e da moral é bastante semelhante, pois ambas são responsáveis por construir as bases que guiarão a conduta do homem, determinando o seu caráter e a sua forma de se comportar em sociedade. Quando falamos de ética nas empresas, vem-nos sempre um amargo de boca, pelo que lemos, ouvimos e vemos o que é a prática de muitas delas. É caso para repetirmos as palavras de um grande estadista europeu que dirigiu a Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial: “vivemos tempos difíceis, sem ética que nos valha” Nas nossas empresas, somos muitas vezes confrontados com injustiças, conflitos laborais e incompatibilidades. Ser ético é desenvolver bem o seu trabalho, tomar as atitudes que não infrinjam as regras, padrões, normas e valores que prejudiquem trabalhadores, fornecedores, clientes e o estado. Quando há um clima organizacional que favorece e estimula boas relações humanas, as pessoas tendem a se manterem mais motivadas e envolvidas com os processos da organização empresarial. Qual a ética ou moral que aplicamos?

IPSS – Reembolso de 50% do IVA

Sabia que as IPSS podem solicitar o reembolso de 50% do IVA suportado em certas operações?
– Aquisição de bens ou serviços relacionados com construção, manutenção e conservação de imóveis utilizados total ou parcialmente na prossecução dos fins estatutários, desde que constantes de faturas de valor superior a 997,60€ (com exclusão do IVA)
– Aquisição de bens ou serviços de alimentação e bebidas no âmbito das atividades sociais desenvolvidas.
Em caso de dúvidas ou questões entre em contacto connosco

Economia mais Solidária

lugesconta-servicos-apoio-ipss

Quando se abrem os jornais ou as televisões, somos confrontado com uma avalanche de (des)informação sobre covid e a situação económica, devastada pela iminente rotura do tecido empresarial, pelo desemprego e pelo aumento da pobreza. A percepção que fica do estado da nossa economia é um quadro pouco animador. A pressão fiscal é enorme, as dívidas para pagar são desmesuradas, os buracos financeiros vão surgindo em catadupa (irão continuar a aparecer depois de acabarem as moratórias), temos uma dívida publica exorbitante e números aos milhões de milhões que se gastam para salvar bancos e agora a Tap que deixam o cidadão comum atónito e confuso. Gera-se o pânico e povoa-se todo o nosso imaginário de medos. Mais recentemente caí-nos em cima um orçamento que alguns classificam de “manta de retalhos”. Chegamos ao “fim da linha” no dizer do economista Victor Bento. As previsões apontam para um empobrecimento geral com uma recessão económica próxima dos 9%. Sem produzirmos riqueza dificilmente sairemos deste impasse.

São ciclos da história que se repetem, agora agravado com uma pandemia, e que mostram quanto são efémeras as teorias económicas já experimentadas como o feudalismo, o comunismo e agora o neoliberalismo inspirado sobretudo pelo escocês Adam Smit (1723-1790). Por outro lado, revelam a incapacidade dos decisores económicos e políticos de pensarem a longo prazo. Já em 1873, os EUA e a Europa passaram por uma crise em tudo idêntica à que estamos a viver hoje.

Haverá alternativas a este modelo económico baseado no lucro fácil e desenfreado, na competição especulativa com ausência de princípios éticos, de justiça e paralisado pelo abuso e corrupção e pelo desperdício?

Em 1991 Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares, visitava São Paulo no Brasil e ficou impressionada de ver que ao lado de uma das maiores concentrações de arranha-céus, conviviam extensões enormes de favelas. Inspirada pela encíclica Centesims Annus de João Paulo II e particularmente pela vida das primeiras comunidades cristãs do I século da nossa era, intuiu a chamada “economia de comunhão”, uma economia mais solidária que pudesse dar resposta aos mais carenciados através da partilha voluntária dos lucros. A economia de comunhão como modelo embrionário, tem vindo a fazer o seu caminho existindo neste momento 413 empresas na Europa, na América do Sul 209, nos Estados Unidos 35, na Ásia 25, no Médio Oriente, África do Sul e Austrália com 2.

Qual a mais-valia que este modelo traz? Não tendo a pretensão de dissecar ao pormenor esta corrente, refiro apenas alguns aspectos que me parecem relevantes. Em primeiro lugar procuram transformar o estilo de gestão empresarial tendo como centro a pessoa humana e não o capital. Depois procuram estabelecer pontes de diálogo, reforçar as relações na base do respeito e da confiança com os clientes fornecedores e com a comunidade envolvente, apostam na qualidade, no profissionalismo e na responsabilidade social. Os lucros obtidos são distribuídos em três partes; uma para o desenvolvimento da empresa, outra para apoiar as pessoas em dificuldades através de projectos baseados “no princípio da subsidiariedade e da reciprocidade” e uma outra para a formação. Acima de tudo aposta-se num “novo relacionamento”.

Sempre ao longo da história, a humanidade soube encontrar respostas às “crises”. Tenho esperança de que também esta terá solução e o desafio que nos é colocado é não nos deixarmos subjugar, porque, como dizia um destacado membro da ACEGE (Associação Cristã de Empresários e Gestores),” O problema está na forma como lidamos com o problema”.

25 anos Lugesconta

Parabéns à Lugesconta,
nesta data querida,
muitos sucessos,
muitos anos de vida!??